Trump quer suspender temporariamente imigração aos EUA

O presidente Donald Trump disse na noite de ontem que assinará uma ordem executiva suspendendo temporariamente a imigração para os Estados Unidos enquanto o país luta contra os efeitos econômicos e de saúde da pandemia de coronavírus.


Presidente Donald Trump deseja suspender temporariamente a imigração para os EUA

Conforme anunciou pelo Twitter, a ordem responde aos efeitos da pandemia de covid-19 no país e à "necessidade de proteger os empregos" dos americanos.


"À luz do ataque do Invisível Inimigo, bem como da necessidade de proteger os empregos de nossos GRANDES Cidadãos Americanos, assinarei uma Ordem Executiva para suspender temporariamente a imigração para os Estados Unidos!" ele twittou.


Twitter Donald Trump • Suspensão da imigração para os EUA

Não está claro qual mecanismo ele usará para suspender a imigração, quanto tempo essa suspensão poderá durar ou que efeito isso terá na operação das passagens de fronteira nos EUA e naqueles que já possuem green card.


Segundo a CNN norte-americana, a Casa Branca se recusou a fornecer mais informações sobre a ordem executiva na noite de ontem.


O Departamento de Segurança Interna não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.


Como resultado do coronavírus e das tentativas de reduzir sua disseminação, a imigração para os Estados Unidos foi amplamente interrompida: o reassentamento de refugiados foi suspenso, os escritórios de vistos estão praticamente fechados e as cerimônias de cidadania não estão acontecendo.


Trump não ofereceu detalhes sobre o que ele pretende fazer para restringir ainda mais a imigração diante do coronavírus.


Os defensores dos imigrantes imediatamente recuaram contra o tweet. "Isso não é sobre a política. É sobre a mensagem que o presidente deseja enviar. Ele quer que as pessoas se voltem contra 'o outro'. E, independentemente das contribuições valiosas que os imigrantes estão dando à resposta e à recuperação, ele vê os imigrantes como os mais fáceis de culpar ", disse Ali Noorani, diretor executivo do Fórum Nacional de Imigração, no Twitter.


O tweet de Trump surge quando o governo procura reabrir partes do país a partir do desligamento do coronavírus por meio de uma abordagem em fases, mas também é uma continuação da promessa da campanha do presidente de 2016 de diminuir a imigração.


No mês passado, os Estados Unidos fecharam suas fronteiras com o Canadá e com o México para todas as viagens não essenciais e anunciaram recentemente que vão estender as restrições até pelo menos meados de maio.


Restrições semelhantes também foram implementadas para viagens da Europa e da China, embora estejam isentas pessoas com vistos de trabalho temporário, estudantes e viajantes de negócios.

O anúncio de Trump ocorre quando a Casa Branca diz que o pior da pandemia já passou e os Estados Unidos podem começar sua reabertura.

Atualmente, os EUA são o mais atingido pela pandemia do novo coronavírus.

São mais de 787 mil casos confirmados de covid-19 e mais de 42 mil mortes, de acordo com uma contagem da Universidade Johns Hopkins, que está acompanhando a pandemia globalmente.


A pandemia – que já deixou 167 mil mortos no planeta, sendo 42 mil nos Estados Unidos – provoca um severo impacto econômico e levou à demissão de 22 milhões de americanos, segundo as solicitações de auxílio desemprego, desde que o estado de emergência nacional foi decretado, em 13 de março deste ano.


Não ficou claro a que Trump se referia por "imigração" ou se tal ordem executiva teria respaldo legal nos Estados Unidos, e nem se de fato ela será implementada.


Trump deve se encontrar com o governador de Nova York, Andrew Cuomo, hoje, terça-feir, 21 de abril. O estado é o mais afetado pela Covid-19, e, mesmo com sinais de diminuição do contágio, as autoridades locais não querem afrouxar o isolamento para evitar um novo pico do coronavírus.







"Sonhos existem para se tornarem realidade"

WALT DISNEY

© Orlando Wish 2019