Bob Iger fala em entrevista ao New York Times sobre futuro da Disney pós crise do Coronavírus

Bob Iger está retomando o controle da Walt Disney Company enquanto enfrenta a crise atual da pandemia de coronavírus segundo divulgado em entrevista ontem à noite no New York Times.


Bob Iger em nova entrevista ao New York Times

Iger, 69 anos, que já foi aclamado como “empresário de o ano "pela revista Time, está focado em refazer uma empresa que, segundo ele, será profundamente alterada pela crise.


A Walt Disney Company está sofrendo, assim como todo o mundo, várias mudanças devido aos efeitos econômicos debilitantes da pandemia de Coronavírus (COVID-19) em andamento.


Além dos parques fechados (começando em janeiro deste ano), teve a nomeação de Bob Chapek como novo CEO, muitas notícias sobre o cancelamento dos programas para Cast Members, além de um anúncio feito recentemente que a empresa vai dar licença não remunerada a 43 mil colaboradores, a partir do dia 19 de abril, sendo que mesmo assim, em tempos tão difíceis, continuará pagando os benefícios dos mesmos, o que demonstra, na minha opinião, o enorme respeito pelos seus colaboradores.


Durante a crise atual, apenas uma voz dos escalões superiores da empresa se manifestou, e esse é o ex-CEO Bob Iger.


Já postamos AQUI no blog e redes sociais a entrevista que ele deu à revista norte-americana Barrons, onde foi levantada uma nova questão além de QUANDO os parques seriam abertos, de COMO será um parque pós-Coronavírus.


Hoje, os holofotes voltam ao Bob Iger, que volta a aparecer em matéria no New York Times, onde fala sobre a reestruturação dentro da empresa.

Segundo a materia, o esboço que Bob Iger desenhou para os associados oferece um vislumbre do futuro pós-pandemia: é uma Disney com menos funcionários, liderando o novo e incerto negócio de como reunir pessoas com segurança para entretenimento.



Iger deixou oficialmente o cargo de CEO depois de 15 anos, em 25 de fevereiro de 2020, depois de ter adiado quatro vezes sua saída desde 2013. Bob Chapek, até então chefe de parques e cruzeiros, assumiu o cargo e ainda não se pronunciou sobre o que vem acontecendo nos últimos meses.


Iger ainda permanece na empresa como presidente executivo, até o final de seu contrato em 31 de dezembro de 2021.


A matéria no New York Times toca em um ponto onde diz que várias pessoas especularam que Bob Iger poderia ter percebido o estresse econômico causado pelo coronavírus e optado por sair antes que os danos se tornassem reais nos Estados Unidos, no entanto o texto explica que tal fato não seria verdade dizendo que Bob Iger se aproximou ainda mais agora para ajudar a reestruturar a Disney.


Segundo divulgado na matéria do New York Times, estima- se que a Disney está perdendo US $ 30 milhões ou mais por dia ja que todas as atividades de entretenimento estão fora de cena por pelo menos mais alguns meses.


Ontem novas matérias foram divulgadas sobre licenças de funcionários em Walt Disney World, à medida que o mundo se ajusta a um mundo pós-coronavírus.


Esta é a declaração oficial divulgada no início deste mês:


"A pandemia do COVID-19 está tendo um impacto devastador em nosso mundo com sofrimentos e perdas incalculáveis, e exigiu que todos nós fizéssemos sacrifícios", disse a empresa em comunicado em 2 de abril.


"Nas últimas semanas, decretos obrigatórios de funcionários do governo fecharam a maioria de nossos negócios. Os funcionários da Disney receberam remuneração e benefícios completos durante esse período, e nos comprometemos a pagá-los até 18 de abril, por um total de cinco semanas adicionais de compensação ".


"No entanto, sem indicação clara de quando podemos reiniciar nossos negócios, somos forçados a tomar a difícil decisão de dar o próximo passo e declarar funcionários cujos empregos não são necessários no momento", acrescentou o comunicado.


"O processo de licença começará em 19 de abril e todos os funcionários afetados permanecerão funcionários da Disney durante o período da licença. Eles receberão todos os benefícios de assistência médica, além do custo dos prêmios dos funcionários e da empresa ser pago pela Disney e os inscritos. no Disney Aspire terá acesso contínuo ao programa educacional ".



O artigo do New York Times conclui que a empresa reduzirá o tamanho após a pandemia para otimizar suas operações e estará melhor preparada para enfrentar uma situação semelhante no futuro:


"Bob Iger está tentando descobrir como será a empresa após a crise. Um desafio central é estabelecer as melhores práticas para a empresa e o setor sobre como levar as pessoas de volta aos parques e passeios, evitando a propagação do vírus - usando medidas como por exemplo, de medir a temperatura dos visitantes.“


Iger também vê isso como um momento, ele disse aos associados, para examinar os negócios e mudar permanentemente como eles operam, antecipando o fim de práticas caras de televisão, como publicidade e produção de pilotos para programas que podem nunca ir ao ar.



Este é um momento em que as pessoas procuram, em primeiro lugar, um exemplo de liderança que se provou por um longo período de tempo - e Bob personifica isso.


"Uma crise dessa magnitude e seu impacto sobre a Disney resultariam necessariamente em minha ajuda ativa a Bob [Chapek] e à empresa, especialmente porque eu administrava a empresa há 15 anos!" ele disse em seu email para o New York Time.



Com informações da matéria publicada no New York Times:

https://www.nytimes.com/2020/04/12/business/media/disney-ceo-coronavirus.html

3,274 visualizações

"Sonhos existem para se tornarem realidade"

WALT DISNEY

© Orlando Wish 2019